Pesquisar neste blog

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

As Orações dos Quatro Elementos


Como já vimos anteriormente, nossas deficiências relativas aos quatro elementos da natureza podem ser identificadas em atividades comuns. Percebendo suas repercussões prejudicando nossos relacionamentos e desempenhos podemos trabalhar para reduzir estas deficiências de diversas formas. Uma das formas de redução de nossas debilidades relativas aos quatro elementos da natureza é realizarmos suas orações.
As orações dos quatro elementos podem ser encontradas facilmente na Internet em endereços como:
ou então:
O elemento da TERRA, por exemplo, é vital para a produção de alimentos, afim de que a humanidade possa formar corpos perfeitos, os quais são suas manifestações neste planeta, para as atividades espirituais e cósmicas. Vemos a ação benéfica da terra nas lindas paisagens, na vida dos pássaros, nas flores, nos belos minerais e naturalmente na produção dos vegetais. Sua ação destruidora é demonstrada nos desmoronamentos, vulcões em atividade e terremotos. Sua oração também pode ser encontrada como a Oração dos Gnomos, que são os elementais do elemento Terra.
Vejamos então a Oração da Terra:
“Rei invisível, que tomaste a terra para apoio e que cavaste os seus abismos para enchê-los com a vossa onipotência; vós, cujo nome faz tremer as abóbadas do mundo, vós que fazeis correr os sete metais nas veias das pedras, monarca das sete luzes, remunerador dos operários subterrâneos, levai-nos ao ar desejável e ao reino da claridade. Velamos e trabalhamos sem descanso, procuramos e esperamos, pelas doze pedras da cidade santa, pelos talismãs que estão escondidos, pelo cravo de imã que atravessa o centro do mundo. Senhor, Senhor, Senhor, tende piedade dos que sofrem, desabafai nossos peitos, desembaraçai e elevai nossas cabeças, engrandecei-nos. Ó estabilidade e movimento, ó dia envolto na noite, ó obscuridade coberta de luz! Ó senhor, que nunca retendes convosco o salário dos vossos trabalhadores! Ó brancura argentina, ó esplendor dourado! Ó coroa de diamantes vivos e melodiosos! Vós que levais o céu no vosso dedo, como um anel de safira, vós que escondeis em baixo da terra, no reino das pedrarias, a semente maravilhosa das estrelas, vivei, reinai e sede eterno dispensador das riquezas de que nos fizestes guardiães. Amém.”
Observemos como nesta oração o locutor (aquele quem faz a oração) se coloca na posição do elemental, se identifica com ele. Então, passa a ver Deus e suas habilidades dentro da óptica ou visão de um ser que reside dentro da Terra. Por isso identifica Deus como as melhores pedras e minerais, também como Aquele que pode lhe tirar do sufoco, dar-lhe ar e luz.
Os elementais da Água são as Ondinas, os elementais do Ar os Silfos e do Fogo são as Salamandras. Caso você vá buscar na Internet estas orações, tente também procurar pelos elementais.
Uma oração faz parte de um pequeno ritual. Então, ela deve ser realizada dentro de certos parâmetros para ser mais eficiente e obter melhores resultados. Então, o ideal é unir tanto as orações quanto outros elementos que concentram nosso universo psíquico naquilo que nos propomos a fazer:
TERRA
Local: fechado, escuro, pequeno, preferencialmente sob a terra.
Peça: pedras semipreciosas, moedas, metais brilhantes, chaves antigas
Vela: marrom ou preta
Horário: meia-noite
ÁGUA
Local: próximo ou dentro da água, preferencialmente rio, lago ou ilha
Peça: taça (copo) de água ou óleo
Vela: azul
Horário: 18h
AR
Local: lugar alto, arejado e bem iluminado, preferencialmente no topo de uma montanha ou na sacada de um apartamento
Peça: um talismã que tenha significado para a pessoa (um símbolo religioso, pode ser uma medalha, uma imagem, um desenho ou foto)
Vela: amarela
Horário: 6h
FOGO
Local: lugar sagrado (templo) ou próximo ao fogo (forno)
Peça: uma espada ou um punhal
Vela: vermelha
Horário: 12h
A estes componentes do pequeno ritual podem-se ainda aliar mantrans (sons), nomes mágicos, vestimentas e cores propícios.
O mais importante de tudo é a compenetração interior daquele que faz o ritual ou oração. A pessoa deve ter convicção, estar certa e segura do que faz e quer. A dúvida ou a hesitação são o caminho para o fracasso de qualquer coisa na vida e no mundo esotérico ou espiritual é semelhante. Se a pessoa não estiver certa ou confiante é melhor não fazer.
Na vida, não devemos tentar fazer nada. Devemos sim fazer, com a convicção de que faremos o melhor para obter o resultado obtido. Quando se inicia uma empreitada já com a ideia de “tentar” a pessoa traz junto a ideia do fracasso, da falha, do insucesso. Observe as pessoas realizadas: elas fazem as coisas darem certo, de uma forma ou de outra, não aceitam a falha e não se entregam na primeira dificuldade. Se você quer que algo de certo em sua vida, planeje e faça dar certo. Tenha noção de suas habilidades, qualidades e fragilidades.
Para o sucesso o autoconhecimento é determinante e fundamental. Comece então por estas dicas que os quatro elementos da natureza podem lhe dar. É simples, fácil e gratuito.
Postar um comentário