Pesquisar neste blog

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O amor nos planos espirituais


O amor é algo ainda desconhecido e indefinível para nós. Isso acontece porque sua natureza transcende o físico, tem origem no mais elevado da espiritualidade.
Por mais profano que possa parecer suas expressões, o amor é preconizado como símbolo de Deus por todas as religiões.
Então, se justifica dedicarmos alguns instantes para tentar compreender sua natureza além daquela conhecida nas músicas, nas novelas e nos filmes.
Cabalisticamente existem quatro mundos:
1)      O Mundo da Emanação – Onde brota o amor, fonte e origem;
2)      O Mundo da Criação – Ideia ou ciência do amor (harmonia, fraternidade);
3)      O Mundo da Formação – Emoção ou sentimento do amor;
4)      O Mundo da Manifestação – Sensação ou consumação do amor divino.

O Mundo da Emanação é o universo da espiritualidade pura, da divindade incólume e da perfeição. Neste mundo o amor é o próprio Deus e vice-versa, é luz pura. É onde acontece o amor dos deuses, o encontro do primeiro casal divino, dos gêmeos espirituais que se fundem pelo amor gerando um poderoso e transcendental ser. Astrologicamente é o encontro entre Adan Cadmon (Plutão) e Lilith (a primeira mulher criada do barro, à semelhança de Adão). Aqui existe o portal para além da Criação concebida, para o Incognoscível.

O Mundo da Criação é o universo do Mental Abstrato, da Causa das coisas, do princípio das idéias. É o mundo da ciência onde predomina a lógica, a razão e o sentido da vida e da existência. Este mundo comporta o encontro de idéias afins, conceitos próximos e pensamentos harmônicos. Aqui o amor ganha tons de harmonia, equilíbrio e justiça. Mais do que isso, é o encontro de projetos comuns que transcendem a personalidade, o interesse pessoal ou fatores sociais. Astrologicamente é o encontro entre Saturno e Netuno que resulta em Urano. Aqui existe o portal para além do tempo e do espaço.

O Mundo da Formação é o universo onde impera o amor em sua mais acentuada e importante forma, o amor que pulsa no coração e nas almas. É da união dos complementares, neste universo, que a vida ganha forma e pode acontecer nos planos inferiores. Este mundo é o mundo do amor conjugal, do casamento cósmico, da união iluminada por Deus, do encontro entre o casal divino, da parelha que é equilibrada e ambos são semelhantes, existe o reconhecimento mútuo de que um não é maior nem melhor do que o outro, pelo contrário, sabe-se que um necessita do outro para ser uma inteireza, uma unidade à imagem e semelhança de Deus. Astrologicamente é o encontro entre Sol e Lua que resulta no feliz e próspero Júpiter. Aqui existe o portal para a fusão das almas e dos corações que se unem pelo amor divino e puro.



O Mundo da Manifestação é o universo da manifestação física do amor, das diversas expressões desta energia que equilibra, harmoniza, embeleza e suaviza todo. É neste universo que a vida material é concebida e perpetuada pelo poder do amor. Dizem que seres de planos superiores gostariam de estar neste plano para poder desfrutar das delícias que é o amor físico na forma de carinho, afeto, companhia, conivência e a sensualidade. A divindade do amor pode ser aqui identificada pelas expressões e suas manifestações sem medos, sem restrições, com consciência, harmonia, respeito, compreensão e parceria. O amor físico só se sente satisfeito se proporcionou satisfação à sua contraparte, não é egoísta. É neste plano, através do ato máximo e íntimo do amor conjugal que céu e terra se unem, através da união entre homem e mulher, onde Criador e criatura se unem retornando à Unidade Primordial. Astrologicamente é quando ocorre o enlace de Marte e Vênus, gerando a criança pura que é representada por Mercúrio. Aqui homem e mulher se tornam deuses e podem criar uma vida nova, ir além de suas histórias e lendas pessoais, tanto no plano físico quanto no plano espiritual. Aqui é onde existe o portal de espelhamento dos planos espirituais e a re-revolução dos anjos se inicia, onde o último se torna o primeiro e o homem comum se torna o primogênito divino.

Mas, em teoria a união nestes mundos parece simples, porém é algo muito complexo e reservado exclusivamente para aqueles que conquistam por seus próprios esforços e méritos esta condição e direito. É necessário um intenso trabalho psíquico de preparo e uma busca constante da harmonia, da empatia, da verdade, e da renúncia que o verdadeiro amor nos proporciona.

Por outro lado, o que apresento é o ideal que pode se mostrar inacessível para a grande maioria das pessoas. Para um dia chegarmos a tal ponto é importante que trabalhemos nossas uniões, mesmo que separadamente, mundo por mundo, vida a vida, relacionamento a relacionamento. Devemos ir construindo esta verdadeira catedral do amor que é a instituição do casamento cósmico e este trabalho tem por tônica central, como não poderia deixar de ser, o amor, a harmonia, a compreensão, a verdade, o respeito, a justiça, a conivência, a flexibilidade, a empatia e a abnegação. 
Postar um comentário