Pesquisar neste blog

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Porque o disco voador não pousa?

Muitas pessoas não acreditam em disco voador, mesmo sabendo que é um absurdo que só exista vida inteligente em nosso planeta enquanto existem centenas de milhares de outros planetas semelhantes no universo infinito. Mas, também existem muitas outras pessoas para as quais a questão da vida extraterrestre é lógico e um fato incontestável.



Trabalhos de pessoas sérias sobre o assunto da visita de seres de outros planetas à nossa Terra já foram divulgados. Erich Von Daniken e seu “Eram os Deuses Astronautas?” inaugurou os estudos ufológicos baseados na antropologia, egiptologia, sumeriologia e outros ramos científicos. São apresentados argumentos incontestáveis da presença alienígena em nosso planeta em tempos remotos. Provas e argumentos que se de um lado são muito coerentes, por outro lado não inexplicáveis pela ciência atual de nosso planeta.

Existe uma outra obra intitulada “O Mistério de Sírius”, da Editora Madras. Este livro tem por foco o conhecimento astronômico de uma “primitiva” tribo africana. Esta tribo tem como conhecimento sagrado e secreto informações astronômicas que nossos cientistas foram poder constatar somente agora. Eles já afirmaram a existência da estrela Sírius “B”, uma estrela anã branca, muito antes dos astrônomos a descobrirem. Eles também sabiam que se tratava de uma estrela de pouca luz, mas de um peso muito grande, maior que o da própria Sírius. O autor nos mostra que estes conhecimentos astronômicos estavam presentes nas antigas tradições sumérias e egípcias, na forma de mitologia. Conforme estas informações, regularmente somos visitados, ao longo dos milênios, pelos alienígenas que vêm verificar nossa evolução e desenvolvimento.

Mas, se os extraterrestres então mantiveram contato com nossos ancestrais, se se mostraram em “carne e osso”, de forma evidente e tangível para toda a população ver, porque agora eles não fazem o mesmo? Porque não pousam seus discos voadores e saem para se confraternizarem com os humanos da Terra? Alguns imaginam que é por receio da histeria que pode acontecer por parte da população, outros dizem que os políticos mundiais não deixam.

Todas estas explicações são coerentes e procedem, mas o fato mais importante talvez seja a realidade de que antes éramos como bebês que se não tivéssemos o apoio, a orientação e acompanhamento de perto por parte deles talvez não chegássemos aonde chegamos. Mas, agora, nossa humanidade já não é mais uma civilização bebê. Nós já ensaiamos inclusive a colonização de Marte! Já não necessitamos do apoio, tal qual uma criança que precisa caminhar por suas próprias pernas para que desenvolva sua autoconfiança, escolha seus próprios caminhos e assuma suas responsabilidades. Ou seja, eles nos tratam como pais, afinal fomos colonizados por eles, nossa genética tem muito da região de Sírus e de Órion. De certa forma somos seus filhos.

Então, ao invés deles se manifestarem, deles virem até nós talvez esteja na hora de mostrarmos que já crescemos e que não somos mais dependentes. Pelo contrário, talvez seja o momento de mostrarmos que temos mérito, conhecimento, consciência e responsabilidade para assumirmos nosso lugar na Confederação Galáctica.
Ao invés deles virem até nós, está na hora de nós fazermos o contato com eles. Cabe a nós a iniciativa, o mérito e o esforço para chegar a um nível de consciência, atitudes e capacidade para tratar com eles “de igual para igual”.

É certo que nem todos de nós está capacitado a isso, muitos vivem ainda com a mentalidade da Idade Média ou mesmo na Idade da Pedra. Mas, muitos de nós devemos abandonar a expectativa e o desejo de receber uma visita alienígena e ao invés disso provocar um contato com eles e ser um representante da nova humanidade que está surgindo. Mas, para pertencer a esta nova humanidade devemos realmente viver com sentimentos nobres e elevados, fraternos, de cidadania, de espiritualidade, justiça e compreensão. Palavras vazias de nada adiantam, jogos de palavras bonitas enganam somente a própria pessoa, mas sua vibração a denuncia, seus atos testemunham seu caminho e práticas contrárias ao discurso.

E, então, vamos dar as mãos e juntos nos reunir com nossos irmãos estelares? Vamos juntos participar da nova humanidade que tem os pés na Terra e a cabeça no céu?


Participe conosco da Academia Ciência Estelar!

Postar um comentário