Pesquisar neste blog

terça-feira, 19 de maio de 2015

A realização pessoal depende da relação com o pai

No processo de criação os pais dão o seu melhor para os filhos, mas este melhor não é perfeito e é comum os filhos levarem traumas quanto à sua relação com os pais. Depois de adultos fazem terapia e descobrem os problemas que ocorreram na infância. Porém, nem sempre é possível resolver antigos problemas com os pais. E então, o que se pode fazer?


A Astrologia é um conhecimento que nos permite estabelecer diversas correlações psíquicas que de fato ocorrem e são funcionais. Estas correlações não só podem como devem ser aproveitadas em benefício da solução de problemas pessoais e na conquista de uma vida melhor.



Em Astrologia, a figura do pai é representada pelo planeta Sol. Conforme sua posição no Mapa Astral de uma pessoa (em termos de signo e casa) e, também, dependendo de aspectos com outros planetas e pontos astrológicos, um bom astrólogo é capaz de interpretar como foi a relação da pessoa com a figura paterna na infância. A figura paterna nem sempre é o pai, depende muito da referência paterna que a pessoa adotou quando criança (pode ter sido um tio, um irmão mais velho, etc.). Sendo assim, é possível para o astrólogo saber como foi a relação da pessoa com esta figura paterna, como era o perfil e comportamento dela, o que a pessoa esperava dela e que sentimentos ela lhe suscitava.



Porém, em Astrologia, o Sol também identifica a consciência que a pessoa tem de si mesma, da sua vida e da realidade à sua volta. Ou seja, se houver algum problema na relação com a figura paterna esse problema se reflete diretamente na própria pessoa e sua vida, ou na forma que ela conduz sua vida. Mais, ainda, o Sol em um Mapa Astral indica também figuras de liderança, poder e sucesso. Então, problemas no relacionamento com a figura paterna naturalmente são projetados sobre chefes, policiais, professores ou parceiros importantes.



Em Astrologia, o Sol é o planeta do sucesso e da realização pessoal, da vida e também do conceito que se faz sobre o verdadeiro amor. Então pode-se compreender a relevância que tem a relação com a figura paterna para a vida de todos nós.



Mas, se queremos resolver algum problema na relação com a figura paterna e nos deparamos com problemas intransponíveis devemos então aceitar as coisas como estão? Não. A vida é magnífica, assim como sua Fonte. Em Astrologia, o Sol simboliza também os filhos, a nossa própria criação.



Os filhos são produto biológico e psicológico dos pais. Eles normalmente vivem com menos entraves aquilo que os pais são em essência, mesmo que esta essência muitas vezes esteja bloqueada por traumas, medos, inseguranças, etc. É por isso que muitos pais têm “vergonha” de algumas coisas que seus filhos fazem. Mas, eles aprenderam com quem? De quem herdaram aquele comportamento? Essa “vergonha” é a vergonha que os pais podem ter de si mesmos, pois reprimiram suas atitudes, desejos e valores e veem os filhos muitas vezes expressando natural e livremente aquilo que reprimiram por tanto tempo.

É muito comum a pessoa educar os filhos conforme um padrão no qual foram educados, ou então exatamente de forma contrária, ainda presos ao padrão recebido. Tendemos a tratar nossos filhos como fomos tratados quando crianças, ou exatamente o contrário. De qualquer forma a tendência é seguir o mesmo padrão, ficarmos presos a ele.



Por isso, se temos algum problema em nossa história pessoal na relação com a figura paterna certamente este problema se apresentará em nossa relação com os filhos, principalmente se for homem. E esta é a oportunidade que a vida nos oferece para podermos melhor elaborar o relacionamento, compreender razões, comportamentos, sentimentos, carências, desejos e valores.



Então, se quisermos mudar nossas vidas, nos aproximar do sucesso, da realização, do verdadeiro amor e da satisfação de viver esta vida, precisamos resolver qualquer problema que possamos ter em relação com nossa figura paterna. Devemos analisar conscientemente como nos relacionamos com nossos filhos, ver se estamos repetindo padrões, o que nossos filhos estão nos mostrando sobre nós mesmos. Educar um filho é um ato de coragem para encarar de fato coisas que buscávamos fugir. E, principalmente, aprender a amar além daquilo que temos vergonha, medo ou não aceitamos em nossos filhos ou, na verdade, em nós mesmos ou em nossa vida.



É claro que as mulheres também podem “trabalhar” suas figuras paternas na relação com seus maridos ou companheiros sobre os quais tendem a projetar as impressões que trazem sobre seus pais.



Afinal, em Astrologia, o Sol, além destas simbologias citadas anteriormente, também representa Deus. E dependendo de nossa relação com a figura paterna e com nossos filhos da mesma forma será nossa relação com Deus, a Verdade, a Vida e o Amor. Será por isso que “honrar o pai” é um mandamento bíblico, uma recomendação terapêutica?



Juarez de Fausto Prestupa
Academia Ciência Estelar


Postar um comentário