Pesquisar neste blog

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Caridade



Caridade


A caridade é muito divulgada e incentivada nos meios religiosos e esotéricos. Caridade, segundo o dicionário, significa: “Amor a Deus e ao próximo: a caridade é uma das três virtudes teologais”.
Penso que muitas pessoas confundem a caridade com a amizade e a solidariedade. Se um amigo está com problemas e a gente ajuda, isso é amizade, afinal não se é amigo somente nos momentos bons. Se um asilo ou creche precisa de doações, isso é solidariedade.
A meu ver, a verdadeira caridade é ajudar quem, em tese e conforme os primeiros e superficiais julgamentos, não o merece.
Ajudar um amigo ou ser solidário à uma questão social é algo simples, fácil e comum.
Mas, ajudar um desconhecido que não merece é algo muito diferente.
Geralmente a pessoa que precisa de caridade ela o precisa em momentos cruciais de sua vida, quando por causa de suas más atitudes e decisões está desesperada (sem esperança), quando não vê saída de seus problemas, quando se vê sozinha, desamparada em um mundo que parece estar inteirinho contra ela.
A verdadeira caridade tem um quê de amor, mas não esse amor barato que se fala facilmente nas novelas e nos templos. Não, o verdadeiro amor, aquele que não julga, aquele que quer o bem indistintamente, sem julgar, sem escolher, sem condenar.
Um verdadeiro ato de caridade é aquele que mostra para o infeliz, o desesperado, que apesar de todas as provas contrárias da vida e do mundo, existe uma saída para o bem, existe o amor abnegado e que existem pessoas que, assim como Deus, não julgam, perdoam e sempre dão mais uma chance para a remissão dos erros.
Ser caridoso é experimentar por alguns instantes expressar o Deus que habita em nossos interiores.